Notícias

Quarta-feira, 18 de Agosto de 2021, 10:11h

Mutirão de cirurgias Mude a Curva atende 25 crianças e adolescentes no Piauí

Mutirão Mude a Curva foi realizado no Hospital Getúlio Vargas e Hospital Infantil Lucídio Portela (HILP)

div Mutir%c3%83o mude a curva final 730x975 Mutirão Mude a Curva no Hospital Getúlio Vargas

O Mutirão Mude a Curva encerrou suas atividades no Piauí, na última terça-feira (17), totalizando 25 cirurgias realizadas, sendo 17 procedimentos no Hospital Getúlio Vargas (HGV) e oito no Hospital Infantil Lucídio Portela (HILP). Todos os pacientes beneficiados eram crianças ou adolescentes e passam bem, a maioria recebeu alta hospitalar.

Uma das pacientes foi uma adolescente de 15 anos, submetida à cirurgia na última sexta-feira (13), e que recebeu alta hospitalar nessa terça-feira (17). Marília Oliveira, mãe da jovem, conta que a filha já tinha sido operada antes, mas que não tinha tido bons resultados. “Agora, a cirurgia foi um sucesso e corrigiu em quase 100% a deformidade da minha filha. Estou satisfeita”, elogiou a mãe da garota.

O diretor-geral do HGV, Osvaldo Mendes, disse que o mutirão foi um sucesso e realizou mais cirurgias que a expectativa. “Conseguimos realizar 25 procedimentos numa ação integrada entre público e privado, em parceria com o Hospital Infantil e empresas que doaram o material médico hospitalar para as cirurgias”, explica o gestor.

 

O ortopedista e coordenador do projeto Mude a Curva, Rodrigo Amaral, destacou que a iniciativa está na terceira edição e teve como objetivo gerar celeridade para o tratamento de escoliose nessas crianças e adolescentes, bem como trazer um legado educacional. “O projeto nasceu não só com uma ação filantrópica, mas como forma de gerar conhecimento e educação médica, além de acelerar o processo em hospitais, como no caso do HGV”, explica.

 

O projeto fez parte de uma ação integrada da Associação Brazilian Spine Study Group (BSSG), com o apoio da NuVasive, empresa que doou todo o material médico que foi utilizado nas cirurgias.


Fonte: ascom HGV