Notícias

Quinta-feira, 11 de Janeiro de 2018, 11:16h

Hospital Regional Justino Luz atende mais de 50 municípios da macrorregião de Picos

O Hospital é referência para a macrorregião do semiárido e para os vales do Guaribas, Sambito e Canindé

Ascom HRJL Obras 01

Os primeiros meses da gestão compartilhada entre Fundação Piauiense de Serviços Hospitalares (FEPISERH) e Secretaria de Saúde do Piauí (SESAPI) no Hospital Regional Justino Luz, em Picos, apontam saldo positivo e soluções concretas na rotina do órgão. Uma das primeiras realizações da cogestão foi a abertura de 10 leitos para adultos na UTI, que tem sido de grande importância. Só no primeiro mês de funcionamento atenderam 37 pacientes e atualmente está com uma demanda diária de ocupação de 60%.  

Para Patrícia Batista, diretora-geral do hospital, a abertura da UTI foi fundamental para melhoria da assistência e atenção à saúde da população local. Uma necessidade que há muito tempo pleiteada por toda equipe. “Esses 10 leitos mudaram não só a assistência para a população de toda região, mas mudam também a qualificação dos novos profissionais que atuam dentro do hospital, pois eles se aperfeiçoam ainda mais no atendimento. Há uma preocupação grande da gestão da FEPISERH de avaliar as possiblidades do nosso hospital e compreender o que podemos trazer de melhorias para as comunidades atendidas”, pontua. 

Por ser uma referência para a macrorregião do semiárido e para os vales do Guaribas, Sambito e Canindé, o Hospital Justino Luz tem um perfil de trauma, pois na região acontece muitos acidentes automobilísticos, alguns de alta gravidade, principalmente de motocicletas, e para atender essa demanda está se reestruturando.  “Temos dois ortopedistas que atuam 24 horas diariamente realizando uma média de 140 procedimentos cirúrgicos ortopédicos ao mês. A Fundação Hospitalar e a Secretaria de Saúde estão otimizando a parte tecnológica para garantir a realização de cirurgias mais complexas e não precisarmos recorrer à Teresina. Isso vai ser possível com a reforma completa do centro cirúrgico e aquisição do arco cirúrgico”, revela a diretora-geral.

O Arco cirúrgico é um equipamento de raios-x, através do qual é possível produzir imagens digitais em tempo real. Com este equipamento será possível ter diagnósticos por imagem instantaneamente, com mais eficiência, excelente qualidade e baixa dose de radiação.

O HRJL também tem contribuído na formação do profissional de saúde, pois recebe alunos de três instituições de ensino superior, sendo campo de prática para os cursos de Enfermagem, Nutrição, Fisioterapia, Serviço Social e Medicina, e mais oito cursos profissionalizantes na área da saúde. “Nos preocupamos em normatizar, organizar, criar critérios e normativas para recepção desses alunos, com respeito a formação deles e principalmente com respeito ao paciente, com o objetivo de garantir a boa formação do profissional de saúde”, ressalta Patrícia.

Para o presidente da FEPISERH, deputado Pablo Santos, as melhorias no hospital acontecerão a curto, médio e longo prazo. “Quando assumimos a gestão do Hospital Regional de Picos, fizemos um planejamento para em um curto prazo sanarmos as necessidades emergenciais e diretas, e seguidamente iniciarmos um trabalho de otimização e melhoria em todos os serviços”, aponta Pablo.

O presidente da Fundação Hospitalar saliente que o hospital já foi considerado um dos piores do Estado há alguns anos. Realidade que já foi mudada nesses primeiros meses de gestão. “Já somos referência na região e vamos potencializar e incrementar a forma como se atende a população de toda essa macrorregião de Picos. Atendemos mais de 50 municípios e entendemos que toda mudança requer tempo, mas priorizamos as providências inadiáveis e os avanços já são notórios. Os atendimentos de alta complexidade já são realizados no hospital e quem ganhou foi a população. Agora vamos dar andamento nas benfeitorias e ampliações”, completa Santos.

Obras em Andamento

Atualmente o HRJL está com três grandes obras, o Centro de Parto Normal (CPN), a Casa da Gestante, do Bebê e Puérpera e a reforma do Pronto Atendimento. Segundo a diretora-geral, todas elas estão dentro do cronograma de entrega até março. “São melhorias estruturais para receber melhor o paciente e acompanhantes, oferecendo um ambiente mais salutar, mais agradável e mais confortável, especial para quem está passando por momentos de dor, medo e incerteza”, destaca Batista.

Melhorias para 2018

Para Patrícia, essas melhorias são essenciais porque vão garantir uma melhor qualidade da ambiência do hospital.  “Na gestão da clínica moderna existem inúmeros trabalhos que mostram o quanto a população se sente bem atendida e mais próxima ao serviço quando tem uma ambiência de melhor qualidade, um hospital mais limpo, mais claro, com temperatura agradável, principalmente em nossa região onde as temperaturas são muito altas”. Para amenizar o problema das altas temperaturas, que provocam um mal-estar maior nos pacientes, foi destinada uma emenda parlamentar através do deputado federal Mainha, para a climatização do hospital e troca das camas. “O presidente FEPISERH, deputado Pablo Santos, em parceria com a SESAPI, tem nos garantido soluções rápidas para a melhoria no atendimento. Para 2019, ela projeta a creditação do hospital para conseguir o ISSO, com o serviço de absoluta qualidade”, conclui a diretora-geral do HRJL.

Indicadores

De julho a novembro foram realizadas 3.096 internações, 45.274 exames, 33.608 acolhimentos com classificação de risco, 1.856 procedimentos cirúrgicos, 2.686 procedimentos obstétricos, 418 pediátricos, 1.944 procedimentos clínicos, além de outros procedimentos que somados, dão 56.891. Total 142.677.

Gráfico

Texto: Maria Nilza Carvalho (HRJL)
Foto: Ascom HRJL