Notícias

Segunda-feira, 03 de Junho de 2019, 01:41h

Hospital de SRN reduziu em 50% transferências da Ortopedia

Só estão sendo transferidos casos especiais, como crianças e idosos que necessitam de UTI

Mutir%c3%a3o srn

Pacientes ortopédicos da macrorregião de São Raimundo Nonato, Sul do estado, não precisam mais serem transferidos para capital para realização de cirurgias e procedimentos de média e alta complexidade. É que o Hospital Regional Senador Cândido Ferraz vem realizando esses atendimentos lá mesmo. A diminuição nas transferências para Teresina chega a mais de 50% desde que começaram os serviços, em 2018, atendendo uma média de 60 pacientes por mês.

A diretora do hospital, Nilvânia Nascimento, explica que estão sendo realizadas cirurgias de fraturas de tíbia e fíbula, punho, metacarpo, clavícula, tornozelo, antebraço, e algumas de úmero e fêmur, pilão tibial e patela, além dos procedimentos de retirada de material de síntese. "Só estamos transferindo casos especiais, como crianças e idosos que necessitam de UTI".

Nilvânia conta que nas atividades de rotina do pós-operatório, os pacientes necessitam do auxílio dos cuidadores e que a viagem à Teresina gera custos, muitas vezes impossíveis para algumas famílias. "Com os procedimentos sendo realizados em São Raimundo, os familiares podem ficar mais próximos e isso ajuda bastante na recuperação, além de evitar gastos com hospedagem e alimentação dos acompanhantes na capital. Outro ponto importante é a economia da rede pública com a transferência, e a redução da demanda nos grandes hospitais de Teresina, desafogando a rede", pontua.

Para o presidente da Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares (Fepiserh), deputado Pablo Santos, que gerencia o hospital, são diversos os ganhos positivos com a oferta dos serviços no interior. "Nosso objetivo é descentralizar cada vez mais a Saúde em todo o estado. Geramos economia para a rede hospitalar e promovemos mais comodidade para os pacientes e familiares, além de diminuir a demanda de hospitais como HGV e Infantil", fala Santos.

O trauma é considerado um problema de saúde pública, sendo a terceira causa de morte na população economicamente ativa no Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde. Já as lesões traumáticas do sistema musculoesquelético representam raramente risco de morte, mas podem determinar perdas funcionais importantes. "A assistência pós-operatória para uma melhor reabilitação do paciente cirúrgico precisa ser diferenciada, com a utilização de dispositivos que minimizem o desconforto do paciente, melhorando a qualidade de vida em relação ao déficit de mobilidade", ressalta Nilvânia Nascimento.

HOSPITAL DE SRN AMPLIOU ATENDIMENTOS

Com quase um ano administrado pela Fundação Hospitalar do Estado, o Hospital Regional Senador Cândido Ferraz apresenta resultados positivos na oferta de atendimentos e serviços aos usuários de 18 municípios da região, mesmo constatando uma demanda crescente e contínua. No final de 2018 inaugurou o serviço de radiologia, com equipamentos modernos de tomografia computadorizada, ultrassonografia e raio-x funcionando 24 horas, além da modernização dos equipamentos de laboratório. Os mutirões ortopédicos aceleraram a assistência nessa especialidade.

Com a missão de diminuir custos e melhorar os serviços do hospital, a Fepiserh tem cumprido e até superado as metas de gestão, descentralizando a saúde no estado, regulando para Teresina apenas casos de alta complexidade que ainda não podem ser solucionados no Regional. Além das benfeitorias físicas, com a ampliação dos procedimentos e melhorias reais no atendimento ambulatorial, exames, urgência e internação, houve um aperfeiçoamento na logística funcional da casa, com a unificação de demandas jurídicas e financeiras com os demais hospitais da rede, como as licitações, gerando economia e otimizando abastecimento.

REFORMA E AMPLIAÇÃO

O Secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, assinou a autorização para a abertura do processo licitatório e contratação de construtora para realizar a reforma e ampliação do hospital. Os recursos utilizados serão no valor de R$ 7 milhões, conseguidos ainda no pleito do piauiense Marcelo Castro quando foi Ministro da Saúde. 

Para o secretário Florentino Neto, a autorização tem um significado importante para aquela região com os novos serviços que serão abertos por conta das obras de reforma e ampliação do hospital. “ Vamos iniciar o processo licitatório já com os recursos autorizados, o que torna tudo mais rápido", afirma.


Fonte: Ascom FEPISERH