Notícias

Terça-feira, 10 de Novembro de 2020, 10:35h

HGV realiza cinco transplantes renais em 72 horas

O trabalho realizado pela Organização de Procura de Órgãos (OPO), Central Estadual de Transplantes e equipe de captação foi intenso para que os órgãos fossem disponibilizados em tempo hábil para os procedimentos.

Capta%c3%87%c3%83o de org%c3%83os 730x570

O Hospital Getúlio Vargas (HGV) realizou cinco transplantes renais em 72 horas, com órgãos captados no próprio hospital. Os pacientes, três homens e duas mulheres, passam bem e continuam internados na unidade.

A coordenadora do Serviço de Transplante Renal do HGV, Celina Castelo Branco, explica que foram feitas três doações de múltiplos órgãos na semana passada, sendo os doadores dois pacientes de 18 anos e um de 50 anos. Todos estavam internados no Hospital de Urgência de Teresina (HUT).
Ela acrescenta que o trabalho realizado pela Organização de Procura de Órgãos (OPO), Central Estadual de Transplantes e equipe de captação foi intenso para que os órgãos fossem disponibilizados em tempo hábil para os procedimentos.

"Os fígados foram enviados para os estados do Ceará, Pernambuco e Minas Gerais. Já os rins ficaram para transplantar no HGV. Fizemos cinco transplantes com muita alegria. Que possamos continuar neste ritmo e beneficiar muitos pacientes que aguardam por um transplante", pontua Celina.

A conquista foi comemorada pela equipe do HGV. O diretor-geral, Gilberto Albuquerque, explica que o Hospital continua realizando outras atividades, mesmo com leitos destinados aos casos de covid-19.  "Tanto recebendo pacientes regulados quanto realizando os transplantes, isso mostra o compromisso do Hospital com a sociedade e mesmo num período desses de crise, continuamos cumprindo com nossas obrigações", diz o diretor.

O presidente da Fundação Piauiense de Serviços Hospitalares (FEPISERH), Dr. Pablo Santos, faz coro às palavras do diretor do HGV. “Mesmo com a pandemia, outros atendimentos de saúde prestados pelo HGV continuaram sendo cumpridos. Isso mostra o nosso compromisso e o trabalho de uma equipe integrada e consciente do seu papel na prestação de serviços de qualidade em saúde no Piauí”, pontua o presidente da FEPISERH.

Pablo Santos ressalta também a importância da doação de órgãos e tecidos e da conscientização da sociedade sobre o assunto. “Sabemos que no Brasil a fila de transplantes e suas problemáticas são grandes, por isso é importante o envolvimento da sociedade no sentido de se conscientizar e abraçar a causa, pois o número de doadores ainda é pequeno em relação ao número de pacientes à espera de doação”, diz.
 


Fonte: HGV