Notícias

Terça-feira, 19 de Maio de 2020, 12:03h

HGV oferece tablets para visitas virtuais entre famílias e pacientes

O hospital recebeu 14 tablets da ATI como parte do programa Piauí Conectado

Tablethgv

O Hospital Getúlio Vargas (HGV) vem usando a tecnologia para humanizar o atendimento e minimizar o drama da separação entre as famílias e os pacientes internados com Covid-19. Por meio de tablets, o hospital promove a visita virtual por meio de videochamadas, que além de reduzir o impacto do isolamento social exigido por causa da doença, ainda funciona como mais uma aliada no tratamento dessas pessoas.

Ao todo, o HGV recebeu 14 tablets da Agência de Tecnologia da Informação (ATI), por meio da SPE Piauí Conectado, que executa no estado o programa Piauí Coenctado.

A psicóloga Cleidiane Pinheiro explica que o objetivo é favorecer o processo de acolhimento e permitir a comunicação com a família dos pacientes internados na Área Covid. E que, além da interação virtual, os familiares também possam acompanhar a evolução clínica de seus entes queridos por meio do boletim médico diário, sem a necessidade de irem ao hospital, evitando, assim, o risco de contágio.

“Os benefícios são visualizados já no momento do contato virtual, com o sorriso e a emoção de quem está do outro lado da tela. Um resultado comemorado por todos, pois sabemos o quanto as precauções são necessárias, porém o elo afetivo deve ser fortalecido”, finaliza Pinheiro.

O diretor-geral da ATI, Antônio Torres, também destaca a importância do projeto. “Tenho certeza de que no tratamento para recuperação dos pacientes da Covid-19, uma das maiores dificuldades é a questão da relação e do contato dos parentes com seus entes que estão internados. Nesse sentido, a visita virtual permite que a família possa acompanhar, ouvir e ver como está sendo feito o tratamento do familiar. E isso é muito importante, pois é humanizar as relações. É a tecnologia encurtando distâncias para que as pessoas possam se sentir, mesmo distantes, próximas uma das outras”, pontua Torres.

Para o presidente da Fundação Piauiense de Serviços Hospitalares (Fepiserh), Pablo Santos, órgão que gerencia o Hospital Getúlio Vargas, o serviço é salutar, pois “trabalha de forma positiva o psicológico do paciente, oportunizando mais tranquilidade e confiança, o que reflete numa melhor recuperação, além de reduzir um risco de contaminação hospitalar aos familiares. Uma excelente iniciativa do Governo do Estado, por meio do programa Piauí Conectado”.

Como funciona o projeto

O projeto funciona da seguinte forma: o serviço social identifica o familiar responsável pelo paciente na admissão no hospital. Coleta o nome completo e o contato de um a dois números de telefone. Uma vez por dia, uma psicóloga faz o contato telefônico com a família, que é previamente preparada, assim como o paciente. Então, realizam a visita mediada pelo tablet. As psicólogas Ana Claudia Melo e Lorenna Barradas são as responsáveis pelo contato com os familiares e acompanhamento psicológico dos pacientes na Área Covid do hospital.

No caso dos pacientes que, por algum motivo, não podem se comunicar, como os que estão intubados, as equipes optam por áudios ou ligação, onde a família pode deixar uma mensagem ao paciente. Após a visita virtual, o médico passa o boletim médico diário para informar a evolução clínica do paciente e esclarecer dúvidas da família.

 


Fonte: HGV