Notícias

Sexta-feira, 10 de Janeiro de 2020, 11:46h

HGV é selecionado para projeto do MS

A unidade vai participar do quarto ciclo do Projeto Lean nas Emergências com outras 40 unidades do país

Img 2065

O Hospital Getúlio Vargas (HGV) foi selecionado para participar do Projeto Lean nas Emergências, realizado pelo Ministério da Saúde em parceria com o Hospital Sírio-Libanês, por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi-SUS). O projeto visa reduzir a superlotação nas urgências e emergências de hospitais públicos e filantrópicos por meio do uso da metodologia Lean, aperfeiçoando a gestão, racionalizando recursos, otimizando espaços e insumos.

Apesar do hospital não ser de urgência e emergência, é a principal porta de entrada dos pacientes regulados pela Rede de Urgência e Emergência (RUE) do Estado e será piloto para o Ministério da Saúde com este perfil, explica o diretor-geral, Gilberto Albuquerque.

Com o projeto, a partir de fevereiro o hospital passa a receber as visitas periódicas das equipes do Hospital Sírio–Libanês, parceiro do Ministério da Saúde no Projeto Lean nas Emergências, para acompanhar a implantação da metologia do programa. Este é o quarto ciclo do projeto no qual foram selecionados 40 unidades em todo o país.

Para o diretor do HGV, significa uma oportunidade de agilizar o atendimento do paciente regulado pela RUE. "Com a participação do HGV no projeto, o objetivo é reduzir a permanência do paciente no hospital, melhorando a organização dos fluxos e, consequentemente, podendo aumentar o número de pacientes atendidos na unidade, reduzindo tempo de espera por um procedimento", explica Gilberto Albuquerque.

A outra vantagem, segundo Albuquerque, é que os profissionais serão treinados na metodologia Lean. “A metodologia Lean reduz desperdícios e tempo, otimizando espaços e insumos”, destaca o diretor.

Ele explica ainda que, para alcançar essas melhorias, os hospitais que participam da iniciativa passam por um processo de intervenção, fase em que os profissionais do Hospital Sírio-Libanês visitam e reúnem-se com gestores e profissionais para identificar dificuldades e implementar ações de melhoria, utilizando ferramentas da metodologia Lean, bem como capacitando as equipes.

Essa fase dura em média, seis meses, e após o término, o HGV passará por um monitoramento por mais doze meses, para garantir a transformação no gerenciamento da unidade.

Para o presidente da Fundação Hospitalar do Estado (Fepiserh), Welton Bandeira, é mais um êxito da Saúde do Estado para a rede. "Já conseguimos habilitar o HGV para as bariátricas no final de dezembro, e agora, mais essa conquista, que é a entrada do hospital nesse projeto, que objetiva otimizar e agilizar o fluxo de pacientes, ampliando o número de atendimentos e reduzindo a demanda reprimida, além de incrementar a produção da casa", comenta.

Bandeira ressalta os resultados positivos que o hospital pode conserguir com a implantação do projeto. "Vamos ter uma diminuição do tempo de espera no atendimento na porta de emergência, agilidade na busca de leito, aumento do giro de leitos, reabastecimento mais ágil de medicamentos, redução do tempo médio de permanência, maior agilidade das atividades voltadas a assistência e melhor orientação das equipes para a "tomada de decisão”, o que implica no aumento da satisfação dos usuários e dos colaboradores atuantes na unidade e mis qualidade nos serviços prestados", pontua o presidente.


Fonte: FEPISERH