Notícias

Quarta-feira, 09 de Setembro de 2020, 12:37h

HGV e Fepiserh implementam melhorias na logística do hospital

Refeições, lavanderia, almoxarifado, capacitação das equipes, segurança do paciente, segurança do trabalho e humanização foram áreas que receberam otimização no funcionamento.

Equipe da área covid durante treinamento. Hgv

O Hospital Getúlio Vargas (HGV), com o apoio da Fundação Piauiense de Serviços Hospitalares (Fepiserh), vem implementando uma série de melhorias na estruturação e logística de funcionamento da unidade de saúde, visando otimizar os serviços e oferecer um atendimento com mais qualidade.

Por meio do Serviço de Nutrição e Dietética, o HGV tem aplicado um controle de qualidade mais eficiente para oferecer uma alimentação adequada para colaboradores, pacientes e acompanhantes. Por dia, são oferecidas quase 2 mil refeições, num total de mais de 55 mil refeições/mês.

Na lavanderia, são 2 mil quilos de peças por dia lavados na Unidade de Processamento de Roupas, serviço realizado por 60 profissionais que cuidam da higienização do vestuário de toda a equipe profissional do hospital, assim como, dos pacientes.

Para a diretor-geral do HGV, Gilberto Albuquerque, “tão importante quanto um bom atendimento é contar com uma boa limpeza no ambiente hospitalar, pois é fundamental para garantir a saúde dos usuários e profissionais”.

O novo almoxarifado do Getúlio Vargas foi adequado para a guarda e conservação de materiais, com mais conforto e segurança para os colaboradores. “São 10 profissionais que trabalham, diariamente, na organização e distribuição de materiais com mais eficácia”, destaca Gilberto Albuquerque.

A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) do HGV, recentemente, realizou um treinamento voltado aos profissionais das UTIs da Covid-19, abordando temas como a higienização das mãos, uso correto de luvas e medidas de prevenção de infecção de corrente sanguínea.

Com foco na segurança de usuários e profissionais, o HGV também realizou treinamentos para atualização dos colaboradores, em especial, os da Área Covid, como os ‘maqueiros’. Dentre os temas, o Núcleo de Educação Permanente (NEP) abordou a ética e postura, processo de trabalho do maqueiro, medidas de precaução da Covid-19, paramentação e desparamentação dos EPIs e limpeza e desinfecção de macas e cadeiras de rodas.

Atendendo às normas de segurança para proteção dos colaboradores e usuários durante a pandemia, a direção do hospital implantou diversas medidas para assegurar a segurança no ambiente de trabalho, como a instalação de barreiras em acrílico no balcão da recepção e uso adequado e racional de equipamentos de proteção individual e coletivos para todos os colaboradores.

O HGV também acatou a primeira diretriz da Política Nacional de Humanização – o acolhimento. Norma sempre adotada pelo hospital, que é a de fortalecer o acolhimento, principalmente nesse momento de pandemia, onde os pacientes estão mais fragilizados e ficam isolados. Nesse sentido, o Serviço Social passou a funcionar 24 horas, acolhendo a todos que chegam na instituição.

Para o presidente da Fepiserh, Pablo Santos, como maior hospital público da rede hospitalar do estado, o HGV merece receber todas as melhorias possíveis, tanto na parte estrutural, como na de pessoal e atendimento. “Desde que assumimos a administração do Hospital Getúlio Vargas, em 2017, temos trabalhado no sentido de aprimorar o parque tecnológico, modernizar a estrutura, abrir novos serviços e revigorar o quadro humano da casa, e para isso, contamos com o apoio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) e Governo do Estado, para, assim, evoluirmos cada vez mais como unidade de saúde referência em alta complexidade para o Piauí”, avalia o gestor.


Fonte: Hospital Getúlio Vargas