Notícias

Sábado, 21 de Março de 2020, 19:02h

Fundação adota medidas preventivas no HGV e Hospital de Picos

Medidas seguem determinações do Governo e Secretaria de Estado da Saúde

Coronavirus 29022020142732939

A Fundação Piauiense de Serviços Hospitalares (Fepiserh) adotou medidas para evitar a transmissão do Covid-19 nos hospitais Getúlio Vargas (HGV) e Regional Justino Luz, de Picos, gerenciados pelo órgão. As medidas seguem determinações do Governo do Estado e da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi). 

Em ambos os hospitais, foi restrito o ingresso de visitantes para pacientes com acompanhante, suspensão de atividades de estágio curricular e restrição a apenas um visitante por dia aos pacientes sem acompanhante. 

Diante da pandemia, o diretor-geral do HGV, Gilberto Albuquerque, adotou medidas específicas no HGV, como a suspensão por 20 dias (17/03 a 05/04) de todos os procedimentos eletivos ambulatoriais e hospitalares, cessou a entrada de pessoas com sintomas gripais e suspendeu atividades coletivas no auditório do HGV. No entanto, ainda estão em atividade no HGV os internatos de Medicina, estágios extracurriculares da Sesapi, Programa de Voluntários e Residências Médicas e Multiprofissionais. 

O Hospital de Picos, segundo a diretora-geral Samara Rodrigues Sá, também limitou a troca de acompanhantes de pacientes, permitindo-se apenas uma troca diária. Além disso, proibiu visitas às dependências do hospital de pessoas não autorizadas. 

O Justino Luz adotou um protocolo para entrada de pacientes suspeitos de Covid-19. Pessoas com suspeita e sintomas de febre, gripe, dispneia, com histórico de viagem para região onde o surto do Covid-19 tenha sido reconhecido e contato com casos suspeitos ou confirmados, devem fazer entrada pelo Ambulatório. Caso não apresente nenhum desses pré-requisitos, deve seguir o fluxo normal de atendimento. 

Apresentado sintomas do vírus, paciente e acompanhante recebem máscaras cirúrgicas e fazem a ficha na recepção do ambulatório, tendo em seguida atendimento médico imediato e a realização dos exames necessários. Dependendo da relevância médica dos exames, o paciente é internado no hospital ou é recomendado que faça isolamento domiciliar.

O presidente da Fundação, Pablo Santos, destaca a importãncia das medidas. "Nesse momento de transmissão comunitária da doença, é de extrema relevãncia que todas os protocolos de segurança sejam tomados, por visitantes, interno e principalmente, suspeitos de infecção pelo coronavírus. Paralelo a isso, todos devem ficar em casa, para reduzirmos ao máximo, a curva de disseminação da pandemia", avalia.


Fonte: FEPISERH